Tecnologias verdes terão registro de patente facilitado

Registros de patentes relacionadas a tecnologia verde poderão ser facilitados a partir do próximo dia 17 com o lançamento do projeto “Patentes Verdes”.

O registro será conduzido pelo Instituto Nacional da Propriedade Industrial (Inpi), vinculado ao Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC).

O anúncio foi feito nesta quarta-feira (11), na Federação das Indústrias do Estado do Rio de Janeiro (Firjan), durante a assinatura de um acordo entre o Inpi e o Escritório Europeu de Patentes (EPO) que viabiliza a troca de documentos em português e inglês.

 A gerente do Patentes Verdes, Patrícia Carvalho dos Reis, informou à Agência Brasil que o projeto tem o objetivo de acelerar o registro de patentes com o potencial de diminuir os efeitos das mudanças climáticas.

 O Inpi divulgará no dia 17 de abril a lista das tecnologias cujo registro poderá ser acelerado. O tempo de espera pelas patentes poderá ser reduzido dos atuais 5 anos e 4 meses para 2 anos. O tempo de concessão das patentes, no entanto, permanecerá inalterado em 20 anos.

 Os registros que poderão ser beneficiados pelo projeto serão selecionados por meio da avaliação de uma comissão técnica do Inpi – que determinará se a patente em questão é verde ou não. Até 500 pedidos poderão participar da primeira chamada do Patentes Verdes. Depois de 1 ano, o Inpi avaliará a possibilidade de prorrogação do projeto.

Fonte: INFO

De Volta Para o Futuro: DeLorean elétrico será vendido a partir de 2013

O carro do clássico filme “De Volta para o Futuro” existe. Tudo bem, ele ainda não consegue levar você em uma viagem pelo tempo, mas com certeza chama a atenção na rua.

O DeLorean foi mostrado no recente Salão do Automóvel de Nova York em sua versão elétrica. De acordo com o Autoblog, os fãs poderão ter um DMC-12 na garagem já em 2013 e, para isso, precisarão desembolsar cerca de US$ 95 mil (aproximadamente R$ 170 mil).

O carrão conta com uma poderosa bateria de lítio-ferrofosfato de 32kWh, o que lhe permite dirigir por 100 a 150 quilômetros com uma só carga. Além disso, o DeLorean consegue atingir consideráveis 200 km/h – é fichinha perto da velocidade da luz, mas tudo bem.

Por fim, não podemos deixar de mencionar o charme na placa do veículo exposto no Salão: “Gasolina? Onde nós vamos não precisamos de gasolina.”

Fonte: tecmundo

Projeto sugere smartphone dobrável e destacável como cartões

O designer russo Ilshat Garipov imaginou como o uso de nanopartículas em substituição às de silício em smartphones poderia facilitar a rotina de usuários. Pensando nisso, ele chegou ao conceito do The Smartphone Booklet.

Smartphone Booklet  (Foto: Divulgação)

Conforme indica o nome, este telefone se assemelha bastante à uma caderneta composta por inúmeras folhas em formato de cartão e viabiliza aos donos usos variados e integrados de suas partes. Caso fosse necessário, por exemplo, ter em mãos um extenso mapa de rodovias interestaduais com maior praticidade de manuseio, bastaria utilizar este telefone conceitual em toda a extensão de seu corpo de cartões.

Smartphone Booklet (Foto: Divulgação)

Por outro lado, se você gosta da praticidade de um teclado separado da tela do aparelho para digitar, só é preciso utilizar duas partes deste projeto. O que viabilizaria o funcionamento do The Booklet como um telefone celular plenamente funcional seria o uso de nuvem de dados para o armazenamento e troca de informações entre o sistema principal e as partes móveis do modelo, além da capacidade de recarga por meio do uso de luz solar.

Smartphone Booklet (Foto: Divulgação)

O Smartphone Booklet seria um projeto de telefone supostamente descartável e de fácil reciclagem, interessante não somente a geeks por novidades, mas também a órgãos governamentais ou civis envolvidos na causa.

Mesmo sem previsão de lançamento e adoção do projeto por alguma fabricante de grande porte, o conceito é bastante válido se for considerado o contexto da sustentabilidade ambiental e praticidade.

Fonte: TechTudo

A arte em pneus de Wim Delvoye

Impressionante. Essa é a palavra certa para descrever o trabalho do artista belga Wim Delvoye que esculpe em pneus velhos… Uma arte sustentável!

comunicadores arte pneus comunicadores 8 610x624 arte Wim Delvoye pneus decorados Arte comunicadores arte pneus comunicadores 6 610x541 arte Wim Delvoye pneus decorados Arte comunicadores arte pneus comunicadores 5 610x541 arte Wim Delvoye pneus decorados Arte comunicadores arte pneus comunicadores 4 610x545 arte Wim Delvoye pneus decorados Arte comunicadores arte pneus comunicadores 3 610x541 arte Wim Delvoye pneus decorados Arte comunicadores arte pneus comunicadores 2 610x541 arte Wim Delvoye pneus decorados Arte comunicadores arte pneus comunicadores 9 610x546 arte Wim Delvoye pneus decorados Arte   comunicadores arte pneus comunicadores 7 610x601 arte Wim Delvoye pneus decorados Arte

E você pensando que recortar papel dava mais trabalho…

Os números da reciclagem no Brasil

Apenas 18% dos municípios brasileiros possuem coleta seletiva. O que o Brasil ganha e perde com isso?

O país perde cerca de R$ 8 bilhões por ano por deixar de reciclar os resíduos que poderiam ter outro fim, mas que são encaminhados aos aterros e lixões das cidades. Este foi o valor estimado pelo Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) por encomenda do Ministério do Meio Ambiente. Ainda assim, o volume do lixo urbano reciclado aumentou nos últimos anos. Segundo o Compromisso Empresarial para Reciclagem (Cempre), passou de 5 milhões de toneladas em 2003 para 7,1 milhões de toneladas em 2008, o que corresponde a 13% dos resíduos gerados nas cidades. Se considerada apenas a fração seca (plástico, vidro, metais, papel e borracha), o índice de reciclagem subiu de 17% em 2004 para 25% em 2008. O retorno financeiro é visível: o setor já movimenta R$ 12 bilhões por ano.

Entre 2000 e 2008, houve um aumento de 120% no número de municípios com coleta seletiva, chegando a 994. A maioria está localizada nas regiões Sul e Sudeste do país. O número, embora importante, ainda não ultrapassa 18% dos municípios brasileiros. Confira, no infográfico abaixo, um pouco mais sobre a reciclagem no Brasil.

 

Dados sobre a reciclagem no Brasil (Foto: Gustavo Campoy)

 

 

Números da reciclagem no Brasil (Foto: Gustavo Campoy)

 

Fonte: Revista Época

Tomada ejeta plug de dispositivos ao serem desligados

Com finalidade de economizar seu dinheiro e recursos naturais do planeta, os designers Seong Soyeon, Kim Seonmi, Lee Jeongjae, Park Jihye e Lee Yeontaek desenvolveram uma tomada capaz de otimizar os gastos de sua residência, escritório e demais espaços. Batizado como PumPing Tap, esse sistema possui maquinaria bastante simples e eficaz.

Tomada conceito PumPing Tap (Foto: Divulgação)Tomada conceito PumPing Tap (Foto: Divulgação)

Projetado para habitar ambientes em que usuários de aparelhos eletro-eletrônicos não tem o (bom) hábito de desplugá-los da rede elétrica após uso, a PumPing Tap realiza essa ação em duas frentes.

Tomada conceito PumPing Tap (Foto: Divulgação)Tomada conceito PumPing Tap (Foto: Divulgação)

Em um primeiro instante, quando algum dispositivo é desligado sem a retirada de seu plugue da tomada, um círculo iluminado em vermelho alerta e ensina aos presentes que aquela conexão elétrica deveria ser desfeita, a fim de evitar desperdícios de energia (que ocorrem mesmo quando sua TV ou torradeira estão sem uso, mas conectados).

Caso a sugestão não seja acatada, a PumPing Tap põe em ação sua segunda ferramenta, que possui em seu centro um sistema com mola, capaz de ejetar o plugue da tomada após dez minutos de perdas. Apesar de muitos advogarem ser o gasto medido nessas situações muito pequeno para gerar preocupações, o uso elétrico desnecessário ganha ótima visibilidade quando avaliado sob ótica mais ampla.

Por esse perfil de colaboradora na manutenção da sustentabilidade do planeta, a PumPing Tap foi premiada como vencedora do concurso de design Red Dot 2011. Apesar de não haver nenhuma data concreta a respeito de quando este projeto poderia ser lançado, não haveria novidade caso passemos a ver produtos equivalentes à PumPing Tap em breve nas lojas.

Fonte: Yanko Design

Tinta solar é mais barata e pode substituir os painéis solares

Pesquisadores da Universidade de Notre Dame nos Estados Unidos estão trabalhando em uma opção aos caros painéis solares. Trata-se de um tipo de tinta solar, muito mais barata e possível de produzir em grandes quantidades. O material, ainda em estudo, não é viável comercialmente no momento.

Em resumo, os pesquisadores criaram um composto que usa partículas de dióxido de titânio, sulfeto de cádmio ou seleneto de cádmio. As substâncias com cádmio conseguem absorver os fótons que compõem a luz solar. Ao ser atingido pelo fóton de alta energia – vale lembrar, eles viajam à velocidade da luz – a substância libera elétrons. As partículas carregadas são captadas pelo dióxido de titânio e geram a tensão.
O material é dissolvido em uma solução que mistura água e álcool, e que dá a consistência pastosa da tinta. Quando aplicada em um material condutor e exposta à luz, cria-se eletricidade. A tinta pode ser amarela, o que significa o uso exclusivo de sulfeto de cádmio, marrom para seleneto de cádmio e marrom clara, quando mistura os dois compostos.
O grande problema ainda é a eficiência na hora de converter luz em energia. Os pesquisadores relatam que, até o momento, o índice de eficiência da tecnologia bateu modestos 1%, frente aos 15% de conversão dos painéis solares convencionais, construídos com células de silício. O grande argumento da tinta solar, no entanto, é o preço e capacidade de produção em massa, algo irreal para os painéis solares atuais, que além de caros, impactam profundamente o meio ambiente em seu processo de fabricação.

Fonte: TechTudo

Tênis usa energia dos passos para carregar smartphone

Pesquisadores da Universidade de Wisconsin criaram um protótipo que usa os passos da caminhada para abastecer o celular.

Como uma  alternativa para a baixa durabilidade das baterias dos smartphones e para quando não há uma tomada por perto, pesquisadores da Universidade de Wisconsin (EUA) desenvolveram uma maneira de aproveitar a energia dos passos para carregar um dispositivo móvel.

O protótipo do tênis InStep NanoPower captura e converte a energia gerada quando caminhamos em eletricidade, pronta para ser usada por aparelhos pequenos, como smartphones e iPods. Cerca de 20 watts são perdidos durante uma caminhada e liberados apenas como calor.

Tenis
Cerca de 20 watts são gerados durante uma caminhada

A sola do tênis é onde a mágica acontece. Duas espécies de almofadas, uma no calcanhar e outra na ponta do tênis se conectam a uma bateria que armazena a energia e faz a conversão para gerar a eletricidade, via cabo USB ou mesmo conexão sem fio. Os usuários podem então carregar seus dispositivos móveis.

Ainda não há previsão de quando o protótipo chegará ao mercado. Os pesquisadores que o desenvolveram estão em busca de investidores para financiar o projeto.

Fonte: IDG Now

Barco sustentável utiliza água como combustível

A empresa francesa Quimperié teve uma ideia bastante criativa e diferente para reduzir a emissão de poluentes e utilização de combustíveis. O novo barco MIG 675 foi projetado com um gerador de hidrogênio é o responsável por todo abastecimento elétrico do veículo, onde dentre esses dispositivos presentes estão o GPS, o içamento da âncora, LED de navegação, câmeras, controle touch screen de 10 polegadas, entre outros.

migLuxury MIG675, barco movido a água (Foto: Divulgação)

A água utilizada para gerar o hidrogênio, que abastece os compartimentos elétricos, também funciona como o combustível utilizado pelo barco que chega a uma velocidade máxima de 113 km/h com um motor de 500 HP. Essa tecnologia implementada faz com que o veículo vá sendo abastecido conforme for sendo utilizado, além de somente emitir o próprio vapor produzido pela água para a natureza.

Em uma época onde as questões relacionadas ao meio ambiente estão totalmente em alta, as empresas estão cada vez mais se preocupando com essa realidade e pensando na criação de produtos que diminuam esses impactos ambientais. Há uma estimativa de que o MIG 675 chegue ao mercado no ano que vem, custando em torno de US$ 329.000 (cerca de R$ 615.000 segundo a atual cotação da moeda).

Veja abaixo um vídeo demonstrativo do novo Luxury MIG 675.

Fonte: TechTudo

8 dicas para aproveitar a viagem de maneira sustentável

Dezembrou chegou!!! Alguém aí está de férias? Para quem vai viajar, é uma boa hora para colocar algumas atitudes em prática. Caso contrário, já pode servir para o próximo roteiro – seja ele dentro ou fora do Brasil, perto ou longe da sua cidade.

Respeitar as belezas naturais e a cultura local também deve fazer parte do seu roteiro
(Foto: Lago Titicaca/ Bolívia)

Faça um bom “esquenta”
Pesquise, leia, use a internet… informe-se como for possível sobre o lugar que você vai visitar, os pontos turísticos, costumes, alimentação. Com esse conhecimento prévio, fica mais fácil aproveitar. E isso não invalida as surpresas que você terá pelo caminho. Em casos mais específicos, conhecimento transparece respeito com a população e os costumes do lugar visitado. Ter informações básicas à mão, como tarifas e regras de visitação, ajudam, inclusive, a economizar dinheiro e tempo. Se usar serviço de agências, consulte programas de responsabilidade sociambiental, que promovam um turismo consciente.

Divirta-se com o diferente
Respeite a cultura do lugar e entre no clima com a programação oferecida. Ter a percepção de que o novo não faz parte das suas referências (de cultura, de hábitos) é um dos primeiros passos para aproveitar com consciência.

Não leve o armário com você
Pode parecer difícil (meninas?), mas é possível. Fica melhor para carregar e oferece mobilidade para os momentos em que você está chegando ou saindo de uma cidade, por exemplo. No caso de viagens de carro, economiza espaço no bagageiro e não sobrecarrega o veículo. Pense em itens-chave, que facilitam a sua vida e economizam: roupas que secam fácil, garrafinha de água para toda a viagem, pilhas recarregáveis…

Não traga pedaços
Para as lembrancinhas que você vai trazer para pais, tios, avós, amigos, namorado (a)… procure o artesanato local, produzido de forma legítima e amigável. Esqueça souvenirs que são arrancados da natureza, como corais, pedras, pedaços de uma construção histórica… Tire fotos ou guarde na memória. Fora do contexto, esse tipo de coisa perde significado e beleza.


Mesmo que você ache que vai ficar lindo na decoração da sua casa, deixe a natureza como você a encontrou

Vá com calma
Fique tranquilo e esteja aberto. Aproveite para descansar e desfrutar cada momento da viagem sem a ansiedade habitual do cotidiano. Assim, você pode oferecer o melhor da sua presença aos locais por onde passa, fazendo amigos e deixando-se encantar com as belezas que não está acostumado a ver. E, claro, aproveita as atrações com muito mais qualidade, partindo do princípio de que “quem quer fazer tudo, acaba não fazendo nada direito”.

Seu lixo com você
Se estiver em uma trilha, guarde o lixo que for produzindo ao longo do percurso: casca de fruta, garrafas, guardanapos, latas, embalagens… (não precisava nem dizer, né?). O mesmo, claro, vale para passeios em ambientes urbanos. Se não achar um local adequado para o descarte, leve-o com você até encontrar.

Conheça a culinária local
Aprecie sabores que você desconhece. A viagem ganha outro sentido quando você experimenta a gastronomia local – uma das principais portas de entrada para entender a cultura de um povo. É uma excelente maneira de valorizar a região visitada, já que o consumo de produtos locais é menos agressivo ao meio ambiente e movimenta a economia da região.

Movimente-se
Ande. A pé você consegue ver coisas que de táxi passam batido. Se o percurso até o ponto que você pretende ir for curto, faça do caminho até ele uma atração turística. Além de economizar (dinheiro, combustível…), novas possibilidades podem se abrir no seu roteiro.

Tem mais alguma dica? Compartilhe e boa viagem!

Fonte: Revista Super Interessante

%d blogueiros gostam disto: