Social game te da um ideia de como é ser um produtor musical

A área free do game é bacana, mas bem limitada, porém você pode comprar o resto por preço baixo, como os aplicativos de celular.

Os amantes do Songster, que mistura aplicativo musical de edição e jogo, já encontram o game disponível no Facebook. O internauta consegue criar músicas a partir de faixas pré-programadas. O usuário tem disponível um pequeno número de recursos disponível, mas com o tempo é possível comprar mais músicas para edição, com moeda virtual ou dinheiro real.

Songster permite montar canções baseadas em estilos como rock, hip hop, eletrônico e mais. Entre as opções de modificação estão faixas de vocal, guitarra, baixo e bateria. O game é criação de Marshall Seese, diretor da produtora Mowgli.

“Eu quis permitir a qualquer um não apenas a criação de sons, mas também de grandes músicas. Os jogos sociais me pareceram se encaixar bem neste conceito de criação de usuários”, comentou o produtor ao site Mashable.

Fonte: Mashable

Tênis usa energia dos passos para carregar smartphone

Pesquisadores da Universidade de Wisconsin criaram um protótipo que usa os passos da caminhada para abastecer o celular.

Como uma  alternativa para a baixa durabilidade das baterias dos smartphones e para quando não há uma tomada por perto, pesquisadores da Universidade de Wisconsin (EUA) desenvolveram uma maneira de aproveitar a energia dos passos para carregar um dispositivo móvel.

O protótipo do tênis InStep NanoPower captura e converte a energia gerada quando caminhamos em eletricidade, pronta para ser usada por aparelhos pequenos, como smartphones e iPods. Cerca de 20 watts são perdidos durante uma caminhada e liberados apenas como calor.

Tenis
Cerca de 20 watts são gerados durante uma caminhada

A sola do tênis é onde a mágica acontece. Duas espécies de almofadas, uma no calcanhar e outra na ponta do tênis se conectam a uma bateria que armazena a energia e faz a conversão para gerar a eletricidade, via cabo USB ou mesmo conexão sem fio. Os usuários podem então carregar seus dispositivos móveis.

Ainda não há previsão de quando o protótipo chegará ao mercado. Os pesquisadores que o desenvolveram estão em busca de investidores para financiar o projeto.

Fonte: IDG Now

%d blogueiros gostam disto: