Don’t Stop Believing cantado por vários filmes

Você já pensou em ouvir sua música preferida cantadas pelos filmes que você mais gosta? Bom alguém já pensou nisso!

Don’t Stop Believing originalmente é da banda Journey.

Veja também:

“Everything I Do”: http://www.dailymotion.com/video/xooasc_supercut-happy-valentine-s-day-bryan-…

“99 Problems”: http://www.dailymotion.com/video/xold8h_99problemsinfilm-em_music?start=1#fro…

“Hello”:
http://vimeo.com/35055590

“What is Love” com 8 unidades de disquete

Já postei anteriormente várias outras músicas feitas com floppy drives, mas nenhuma tão bem feita quanto essa.

Então eu pergunto aos maniacos: “What is love?

Os NERD pira!

FUN FUN FUN – Parabéns Rebecca Black!

Hoje o hit Friday da Rebecca Black completa um ano!!!

Sim, como disse o meu amigo Raphael Pedrini: “Pena que hoje não é sexta-feira…”

A Reblecka virou a internet de ponta cabeça, angariou uma legião de haters e criou o novo melô da sexta-feira. Tudo isso em menos de uma semana.

Existem milhões de versões e paródias rolando na internet. Eu aposto que você conhece algumas delas.

Mas falando sério! No final das contas todo mundo mesmo que não admita gosta da música.

Versão acústica

Family Guy

 

Versão metal já postada aqui anteriormente: LINK

Game ajudará mulheres em seus relacionamentos reais.

Jogo de autoconhecimento desenvolvido para ampliar a percepção do universo feminino das mulheres contemporâneas recebe financiamento do Banco do Nordeste e do Banco Nacional do Desenvolvimento

Anualmente, o Programa de Cultura do Banco do Nordeste/BNDES, patrocina projetos culturais em áreas como Artes Cênicas, Artes Visuais, Audiovisual, Dança, Literatura, Música e Patrimônio, visando o aprimoramento do desenvolvimento humano.

Em 2011, o BNB, através da categoria áudio visual, passou a investir em projetos de jogos inovadores de desenvolvimento pessoal.

O jogo foi idealizado pela Terapeuta Comportamental, especialista em desenvolvimento feminino, Cristhyane Ribeiro. Segundo a terapeuta, o objetivo do jogo é desvendar características da personalidade da jogadora com auxílio de Deusas da antiguidade, de diferentes partes e fases da história. Como Afrodite – da mitologia grega; Lakshimi e Kali – do panteão hindu; Ísis – história egípcia; Oxun – cultura Africana; Kuan Yin – cultura chinesa, e outras.

O Templo das Deusas é um jogo tipo RPG dirigido às mulheres de todas as idades. Em cada fase o game oferecerá dicas, orientações e soluções personalizadas do universo feminino para ampliar o repertório das jogadoras em seus relacionamentos reais, seja na vida social, afetiva, amorosa ou profissional”, explica Cristhyane.

A partir do dia 08 de março o jogo “Templo das Deusas’ estará liberado para todos os usuários do Facebook. Por enquanto você pode curtir a página do Facebook para ficar por dentro das novidades enquanto aguarda o lanámento do jogo.

Fonte: Game Reporter

Charlie Brown Medley by Jon Schmidt & Steven Sharp Nelson

Eu adoro PianoGuys!

 

Os caras são talentosíssimos, e tem um super bom gosto para escolher músicas em seu repertório. Fora tudo isso vocês podem conferir toda irreverencia e criativdade deles em seu canal no YouTube.

Nesse vídeo eles fazem uma interpretação de músicas do desenho Charlie Brown, sim o do Snoopy hehehe

Sente só!

Música tema de Jaspion no piano por Vinheteiro

Se você nasceu na década de 80 com certeza você assistiu o Jaspion.

A música tema já teve muitas paródias e legendas alternativas engraçadas.

Dessa vez o vinheteiro fez uma interpretação muito boa da música. Alias ele toca muito né? Quando eu o conheci no Festival YouPix, não resisti e tietei o cara hahaha

Confere aê!

As categorias mais populares de aplicativos móveis

A lenda do Herói – Fase 1

Uma canção do menestrel do joystick Marcos Castro e seu irmão sósia do Messi Matheus Castro.

Achei a música no perfil do facebook do Rocky Shimithy

5 coisas que a música pode fazer com o seu cérebro

Aliviar dores e possibilitar maior desempenho de atletas são apenas alguns dos efeitos causados pela música no ser humano.

Como sabemos, o cérebro é responsável pela percepção que temos do mundo, desde as funções mais básicas do nosso corpo até os sentimentos complexos e quase inexplicáveis passam por esse órgão. Logo, o ato de ouvir música não poderia ser diferente.

Porém, o que talvez você não saiba é que a música causa efeitos muito curiosos em nossos cérebros, chegando a influenciar, inclusive, hábitos de consumo e a forma como percebemos o passar do tempo. Confira, a seguir, uma lista de sensações e benefícios que aquele seu disco  favorito pode proporcionar.

1. Com música, o tempo passa diferente

Já percebeu que todo teleatendimento possui vinheta ou música de espera? Pois aquele toque está ali com um propósito: fazer com que o cliente não perceba que está esperando há muito tempo pelo atendimento. Isso diminui as chances de que a pessoa desligue o telefone antes de resolver o seu problema.

O mesmo truque é usado em consultórios e outros estabelecimentos com sala de espera, além de ser uma das estratégias de lojas, shoppings e mercado para fazer com que as pessoas se sintam menos apressadas durante a compra.

O que acontece, nesses casos, é que a música serve para desviar a sua atenção. Como o cérebro humano possui uma capacidade limitada de recebimento de informações, é provável que acabemos por prestar mais atenção à música do que ao movimento dos ponteiros do relógio.

Mas o contrário também pode acontecer. Ouvir música ao realizar uma tarefa importante, por exemplo, pode fazer com que a pessoa tenha a impressão de que o tempo passou mais rápido, afinal, o trabalho acaba ocupando mais “processamento” do cérebro.

E pense bem antes de escutar “Friday” enquanto espera por alguém: as músicas que você não gosta podem fazer com que três minutos pareçam 30 dentro da sua cabeça.

2. Música mexe com nosso medo instintivo

Gritos de porcos no abate foram usados na sonoplastia do filme O Exorcista (Fonte da imagem: Divulgação/Warner Bros.)

Quem já assistiu ao filme “O Exorcista” e tremeu de medo durante a cena em que o demônio é expulso do corpo de Reagan já tem uma desculpa para dar aos amigos: aqueles gritos, na verdade, não eram da atriz Linda Blair, mas de porcos sendo preparados para o abate.

Alguns sons despertam o medo no ser humano e, é claro, a indústria cinematográfica sabe muito bem disso. É por isso, por exemplo, que as cenas de suspense ou terror estão sempre acompanhadas de trilhas sonoras que ajudam a intensificar a tensão ou medo que sentimos enquanto assistimos ao filme. Isso funciona porque existem certos sons que os seres humanos irão sempre associar ao perigo iminente ou medo, como o grito de outras pessoas ou espécies de animais. Os cientistas chamam esses sons de “ruídos discordantes”.

Sendo assim, se quiser passar menos medo quando revir o filme, deixe o volume da TV no mínimo.

3. Academia e música: combinação perfeita

Muita gente gosta de ouvir música enquanto corre ou malha o corpo na academia. Curiosamente, isso é muito mais do que uma mania ou mero passatempo, já que diversos benefícios podem ser alcançados dessa forma.

Para começar, a música ajuda o atleta a obter um desempenho melhor, segurando pesos por mais tempo, reduzindo o consumo de oxigênio e concluindo corridas em menos tempo. Parte disso vem da característica citada no primeiro item desta lista: a música distrai. Dessa forma, as pessoas não se preocupam tanto com as dores que sentem nas pernas ou com quantos quilômetros ainda precisam correr.

Mas os benefícios não acabam por aí. A música também ajuda a sincronizar o exercício com o tempo musical. Dessa forma, atletas não perdem tanto tempo e esforço aumentando ou diminuindo a performance de acordo com o próprio ritmo. Como se não bastasse, o MP3 player também pode servir como analgésico para treinos que exigem muito esforço: de acordo com uma pesquisa publicada na The Cochrane Library, quem ouve música depois de ser operado sente menos dores.

4. Mais uma cerveja! E aumenta o som, DJ!

Por esta todo mundo esperava: a música que toca na balada altera a percepção humana sobre as bebidas, fazendo com que clientes consumam mais do que o normal e até solicitem determinados drinks. Quer um exemplo? De acordo com o artigo “The Effect of Background Music on the Taste of Wine” (PDF em inglês), a música clássica faz com que os clientes peçam vinhos mais caros, já que se deixam levar pela ideia de sofisticação e riqueza que circunda as obras de Mozart e outros compositores.

Além disso, outros estudos indicam que a música ambiente também altera o sabor do vinho. Dependendo da canção que está tocando, a bebida pode parecer mais refrescante ou doce do que o normal. O professor Adrian Nort, responsável pelo estudo, também constatou, em uma pesquisa anterior, que se um mercado tocasse músicas com som de acordeão, os clientes acabavam comprando mais vinhos franceses do que alemães.

É claro que isso não se restringe ao mundo dos vinhos. Músicas agitadas e com batidas fortes fazem com que as pessoas consumam mais álcool em bares e boates. Aliás, já noticiamos, aqui no Tecmundo, que ambientes ruidosos colaboram para que as pessoas percam o bom senso e bebam mais do que o normal.

Mas quando o assunto são os restaurantes, as músicas calmas é que fazem os clientes pedir uma dose extra. Por deixarem os consumidores mais relaxados, é muito provável que eles continuem sentados e conversando, mesmo depois de terem terminado a refeição. Assim, aumentam as chances de que o consumidor peça mais uma garrafa de bebida para continuar o papo.

E caso os hits do momento tenham feito você beber demais, não se preocupe: no Tecmundo você também encontra dicas científicas para curar a ressaca.

5. Música melhora a comunicação

Você sempre detestou as aulas de piano ou violão que sua mãe insistia para você fazer? Pois agora, agradeça: estudar música faz com que seja mais fácil reconhecer variações sutis de emoções em outras pessoas. Além disso, em um ambiente com muito barulho, o estudante de música consegue filtrar melhor os ruídos e se concentrar na conversa de que está participando.

Experimentos atestam que estudantes de música conseguem expressar melhor suas emoções e reconhecer o estado emocional de outras pessoas com mais sensibilidade, analisando, por exemplo, o tom de voz da pessoa que estiver falando.

E mais: essa habilidade se torna mais desenvolvida de acordo com o tempo dedicado aos estudos. Portanto, lembre-se: as aulas de música tidas na infância podem ajudar alguém a se tornar um profissional com uma ótima capacidade de comunicação.

…..

Não tem desculpa para deixar a música de lado. Quem gosta de apreciar esse tipo de arte agora já pode comprar suas faixas favoritas pela iTunes Store brasileira. E se quiser dar um passo adiante, o Baixaki possui uma seção dedicada apenas para ferramentas de áudio, incluindo uma listagem de softwares para educação musical e discotecagem.

Fonte: TecMundo

Músicas em pictogramas

O sueco Viktor Hertz é bem chegado em pictogramas. Ele já apareceu por aqui com as versões simplificadas de pôsters de filmes e agora que essa ideia já tá ficando BEM batida, apareceu com super simplificações de 25 das músicas mais populares dos nossos tempos (para o terror dos hipsters).

Entre Beatles, AC/DC, Daft Punk, Supremes e Eminem (tem pra todo mundo, glr), vê aí se a sua canção preferida ganhou a versão moderninha. E se ainda não apareceu, calma que ele disse que tem mais por vir:

Veja todas aqui.

%d blogueiros gostam disto: