Facebook atinge 900 milhões de usuários

O Facebook revelou nessa segunda-feira mais dados significativos sobre a rede social, em um documento enviado para complementar o pedido de abertura de ações na bolsa de valores. Segundo o arquivo, a rede social já atingiu mais de 900 milhões de usuários cadastrados. Desse total mais de 526 milhões deles fazem parte da fatia que está todo o dia batendo ponto na rede social, seja na web ou nos aplicativos móveis.

Além do número nada exorbitante de usuários, também foi revelado que no primeiro trimestre do ano a empresa faturou US$ 1,058 bilhão ao todo, 6% de queda em relação ao trimestre anterior. Aliado a isso, o Facebook também houve uma mudança: 50% do lucro agora vem dos EUA e do Canadá, enquanto que antes a dupla representava 54% do total no trimestre passado. Esse lucro está vindo de mercados onde o número de usuários vem crescendo cada vez mais, como o Brasil e Austrália.

Nos demais números, nenhuma surpresa: 300 milhões de fotos são enviadas diariamente, 125 bilhões de conexões de amizade, 3,2 bilhões de likes e comentários. Já sobre a compra do Instagram, uma revelação: a empresa pagou 300 milhões em dinheiro e o resto dos 700 milhões em ações.

Para quem não lembra, uma estimativa feita pela empresa iCrossing no começo do ano dizia que o Facebook atingiria 1 bilhão de usuários apenas em agosto. Ao que parece eles devem atingir esse marco com alguns meses de antecedência.

Fonte: tecnoblog

IMPOSSIBRU!!! Agora da pra postar GIFs no facebook

Tenho um certo receio de postar essa matéria, até porque acho que este é mais um passo no processo de “orkutização” do Facebook.

Há algumas semanas, surgiram boatos de que Mark Zuckerberg teria dado uma entrevista ao canal de notícias norte-americano CNN, na qual o fundador do Facebook disse estar descontente com o comportamento dos brasileiros na rede social, e que a introdução de GIFs animados nela estaria vetada por essa postura inadequada dos brazucas.

Pouco tempo depois, a situação foi desmentida pela Assessoria de Marketing da empresa, que em nota afirmou que Zuckerberg jamais faria um comentário tão inconsequente sobre a população que já assume a segunda colocação em número de usuários em seu site de relacionamento.

Além disso, a equipe do Facebook indicou um aplicativo desenvolvido por espanhóis que permite o compartilhamento de imagens com animações. Clique aqui para acessá-lo. Para conseguir enviar GIFs animados pela rede social, basta você selecionar a opção “Imagenes Gifs!” e curtir a página do programa.

Não são GIFs super bacanas, e você tem que escolher dentre a base de dados deles, mas já é alguma coisa.

Todavia, a empresa não tem a pretensão de liberar nativamente o uso desse tipo de conteúdo, pois ela acredita que tais figuras animados poluem visualmente a rede social

Os números do Facebook na publicidade mundial

Até o fim deste ano, a rede de Zuckerberg deve concentrar 28% dos investimentos em anúncios online

Mark Zuckerberg, do Facebook

Facebook deve ter maior IPO de uma empresa de tecnologia da história

O Facebook deu entrada nesta quarta-feira no que deve ser a maior oferta pública inicial de ações (IPO, na sigla em inglês) de uma empresa de tecnologia da história.

No documento, entregue à Securities and Exchange Commission (SEC), órgão regulador do mercado financeiro americano, a rede de Zuckerberg divulga informações que não só comprovam o tamanho da estreia, como também demonstram que o site vem se tornando menos dependente de publicidade.

De 2010 para 2011, a empresa teve uma queda de 16% na receita proveniente de anúncios. Por outro lado, registrou 557 mil dólares em “Facebook Payments”, ou seja, uma espécie de moeda virtual cobrada dos desenvolvedores de games da rede, além de outras taxas.

Os aplicativos e games criados pela Zynga, por exemplo, foram responsáveis por 12% da receita da rede social no ano passado. O Facebook tem uma participação de 30% nas transações financeiras feitas nos produtos da empresa.

Veja alguns números:

83% da receita total do Facebook vem de publicidade

Essa fatia representa 3,15 bilhões de dólares

No início de 2010, 99% da receita do site era proveniente de publicidade

12% da receita do ano passado veio de games e aplicativos produzidos pela Zynga

O Netflix gastou 3,9 milhões de dólares anunciando na rede em 2011

1 bilhão de dólares foi o lucro líquido do site em 2011

A rede tem hoje 845 milhões de usuários ativos

A cada 24 horas, 250 milhões de fotos são postadas

Diariamente, são 2,7 bilhões de likes e comentários

28 milhões de dólares foi o valor gasto pelo Facebook com publicidade em 2011

O site concentra hoje 17,7% da receita de publicidade online, mais do que Google (9,3%), Yahoo (13,1%) e Microsoft (4,9%)

Até o fim do ano, essa fatia subirá para 28%

Em dezembro, o site deve concentrar 1/6 da receita publicitária dos Estados Unidos

Fonte: EXAME

Grafitou as paredes do Facebook e recebeu em açoes, agora tem 200 milhoes

Grafitou as paredes do Facebook e recebeu em açoes, agora tem 200 milhoes

Mark Zuckerberg convidou David Choe para grafitar as paredes da sede do Facebook, em Palo Alto, na Califórnia.

Na época, Choe nao foi pago em dinheiro, mas em açoes da empresa – sem dúvida o melhor negócio que ele já fez na vida. Com a entrada do Facebook na bolsa de valores, espera-se que as açoes do grafiteiro cheguem a valer incríveis USD 200 milhoes.

Nada mau para quem admite que, antes da rede social fazer sucesso, achava que ela era “ridícula e sem sentido”.

Grafitou as paredes do Facebook e recebeu em açoes, agora tem 200 milhoes

Grafitou as paredes do Facebook e recebeu em açoes, agora tem 200 milhoes

Fonte: DesignTAXI.

Facebook distribui cartões de débito Visa para hackers do bem

Cartão tem como meta atrair desenvolvedores em caça de bugs na rede social.

Se você ainda tem planos de conseguir aquele convite VIP para uma das festas particulares do Facebook ou fazer alguns milhares a mais no final do mês, Zuckerberg pode ter planos para o seu talento. Recentemente o Facebook fez uma parceria com a Visa e criou um cartão de débito conhecido como White Hat Black Card.

A ação pretende servir como uma forma criativa de remunerar quem encontra e reporta brechas de segurança à empresa. Não é uma idéia nova. A Mozilla lançou o mesmo tipo de programa em 2004, assim como a Google que até hoje remunera qualquer um que encontrar problemas com o Chrome.

Algumas pessoas fazem milhares de dólares relatando apenas um único problema com o código de um projeto conhecido e seus criadores raramente deixam uma boa recompensa passar em branco. O Facebook tem procurado ser ainda mais inventivo em sua forma de agradecer por este tipo raro (e caro) de trabalho.

Em julho de 2011 a rede social lançou o seu Programa de Compensação para White Hats e pesquisadores de segurança, com recompensas que vão desde US$ 500 até qualquer outro valor exorbitante, correspondente ao tamanho do bug encontrado.

“Alguns dos nossos melhores engenheiros vieram trabalhar aqui após apontarem falhas de segurança em nosso website” — informa Alex Rice, líder do time de segurança do produto para o Facebook.

Um exemplo conhecido foi a contratação do garoto George Hotz (geohot), conhecido por sua atuação da cena de jailbreaking do iOS e do PS3 e que agora trabalha de fato para o Facebook no departamento de segurança geral da plataforma.

Outros exemplos recentes são os de Neal Poole, aluno da Brown University que em breve deve fazer um estágio no Facebook após relatar à empresa pelo menos uma dúzia de falhas; e o polonês Szymon Gruszecki, pesquisador de segurança e tester de penetração e vulnerabilidades. Ambos tem um dos tais cartões de débito oferecidos pelo Facebook.

Além de ser possível retirar dinheiro em qualquer caixa eletrônico, o cartão poderá também servir como uma espécie de ingresso privilegiado para eventos especiais da empresa. Mas não sem levantar alguns argumentos. Afinal, White Hats são criaturas não muito compatíveis com clubes, cultos e outras fanboyzices do gênero.

O Facebook quer fazer com que todas as pessoas que colaboram sensivelmente com a segurança da sua rede e dados sejam publicamente reconhecidas pelo seu trabalho, destacando-as da maioria e construindo um culto ao redor da possibilidade de entrarem para a melhor das listas da casa. Mas você ia mesmo querer um?

Quer dizer: hackers de chapéu branco, com um cartão de débito preto… do Facebook.

Será que pega mesmo?

“Eu não acho que usaria esse cartão dessa maneira [em convenções como a Black Hat ou a DefCon]. Eu provavelmente seria clonado na hora; ou então ficaria pensando que apenas mostrar o cartão já o transformaria em um alvo” — disse o jovem Poole à Brian Krebs, colunista de segurança, em seu blog.

 

Fonte: Tecnoblog

%d blogueiros gostam disto: