Amazon começa a negociar vendas de livros brasileiros

Ao que tudo indica, a Amazon está chegando forte ao mercado brasileiro. A empresa, que já oferece serviço de computação em nuvem no Brasil e na América do Sul, sonda escritores nacionais após não obter sucesso nas negociações com as editoras brasileiras – mesma estratégia adotada nos Estados Unidos.

Augusto Cury é um dos autores de autoajuda que mais vende livros no Brasil (Foto: Reprodução)Augusto Cury é um dos autores de autoajuda que mais vende livros no Brasil (Foto: Reprodução)

As informações são da coluna Radar, assinada pelo jornalista Lauro Jardim, na revista Veja. Segundo ele, o autor de autoajuda Augusto Cury, que já vendeu mais de 15 milhões de exemplares, já foi procurado pela Amazon. No entanto, a empresa não consultou sua editora Planeta e o autor ainda não definiu um acordo.

Paulo Coelho é um dos autores brasileiros cuja versão digital de suas obras são vendidas pela Amazon (em português, espanhol, francês e alemão). A exceção nas vendas é “O Aleph”, seu último livro.

Como é feito nos Estados Unidos, o best seller e outros autores terão seus livros vendidos sem que suas editoras interfiram.

Fonte: TechTudo

Manifestantes contra ACTA fazem abaixo-assinado mundial para impedir aprovação da lei

Os internautas estão preocupados com outra lei que pode acabar com a distribuição de conteúdos não autorizados na Internet:o ACTA, Anti-Counterfeiting Trade Agreement (Acordo Comercial Anti-Contrafação).

Manifestante fazem abaixo-assinado contra outra lei que pode proibir compartilhamento de conteúdo na internet (Foto: Divulgação)

O ACTA é um acordo global, que não deve contar com o apoio do governo brasileiro. Este acordo pode permitir que corporações censurem conteúdos distribuídos pela Internet. O ACTA cobriria inicialmente os Estados Unidos, União Europeia e outros nove países, e então se expandiria para o resto do mundo.

Se aprovado, o ACTA pode proibir o compartilhamento de um artigo de jornal ou de enviar um vídeo que possua uma música com direitos autorais.

Segundo os manifestantes, o acordo é negociado secretamente por alguns países e por corporações, que poderiam policiar as movimentações dos internautas e até decretar a prisão de alguns.

O movimento anti- ACTA começou com uma campanha para conseguir pelo menos 500 mil assinaturas contra o projeto, que está em tramitação em alguns parlamentos de países da comunidade europeia e de outros países. O abaixo-assinado é organizado pela ONG internacional Avaaz e deverá ser entregue em Bruxelas, na Bélgica, pouco antes da votação da ACTA.

Vale lembrar dos projetos de lei, SOPA e PIPA, que visam combater a pirataria na internet que foram retirados da pauta do congresso dos Estados Unidos.

E se a Fire Flower do Mario existisse?

Eu tava olhando o blog BQEG eu vi este post que achei muito legal:

Freddie Wong é um japa que faz vídeos pro youtube. O cara até que conseguiu um pouco de sucesso, afinal são quase 3 milhões de inscritos no canal e mais de 500 milhões de exibições em seus vídeos. Os efeitos são muito legais.

Nessa nova aventura, ele mostra a sua jornada em busca da fire flower do Mario:

Usuários pretendem processar o FBI por desativar o Megaupload

Um grupo de usuários está se organizando na internet para processar o FBI pelo fechamento de um dos maiores sites de compartilhamento de arquivos do mundo, o Megaupload. O motivo? Muitos usuários foram prejudicados, pois arquivos de valor, como documentos e trabalhos escolares, foram sumariamente removidos, sem qualquer tipo de critério prévio.

back5Internautas começaram a se mobilizar contra os danos causados com o fechamento do Megaupload (Foto: Reprodução)

O FBI fechou o site sob a alegação de que o serviço causava prejuízos à indústria do entretenimento, uma vez que não pagava pelos direitos autorais dos criadores dos produtos compartilhados. Muitos jornais e sites descreveram o site como “o verdadeiro paraíso da pirataria”. Mas o Megaupload também era muito utilizado por estudantes e profissionais de pesquisa para o compartilhar arquivos que eram de seu direito de uso e compartilhamento.

Trabalhos escolares, pesquisas, relatórios, documentos e coleções de fotos e vídeos eram armazenados no Megaupload por uma questão de conveniência e praticidade. Agora, com o site fora do ar, esses usuários não sabem se perderam ou não os seus pertences pessoais lá armazenados.

Como as reclamações não param de aparecer, a organização Pirate Parties começou a reunir as pessoas que foram afetadas pela iniciativa do FBI. A ideia é registrar uma queixa oficial contra o órgão do governo. “Os danos causados pelo fechamento repentino do Megaupload são irreparáveis, e a ação do FBI foi completamente desproporcional, em relação ao objetivo pretendido”, afirma a Pirate Parties em um comunicado.

As organizações que, de alguma forma, apoiam a iniciativa do compartilhamento – como o Pirates of Catalonia e outros grupos – estão pesquisando quais são as potenciais violações dos direitos dos usuários que tinham dados legalizados no serviço. A partir daí, esses grupos pretendem auxiliar os internautas na queixa contra as autoridades dos Estados Unidos e de outros países que adotaram a mesma medida.

“Esta iniciativa é um ponto de partida para os usuários de internet possam se defender dos abusos jurídicos promovidos por aqueles que, de forma agressiva, tentam proibir o uso de material para o seu próprio lucro financeiro”, completa o comunicado. Alguns juristas e defensores dos direitos dos cidadãos já se interessam pelo caso. Os usuários do Megaupload que se sentiram prejudicados pelos últimos acontecimentos, podem obter mais informações sobre a ação coletiva.

Fonte: Torrent Freak

“Zumbis” causam pânico em universidade americana

Brincadeira de alunos da North Carolina State fez com que a polícia fosse chamada em campus.

(Fonte da imagem: Divulgação/Humans Vs. Zombies)

Policiais foram chamados duas vezes até a universidade North Carolina (Estados Unidos), após algumas pessoas que estavam no campus avistarem um sujeito caminhando com uma arma nas mãos. Nas duas ocasiões, não foram encontrados suspeitos, mas alguns dias depois tudo foi revelado. Realmente havia um aluno armado, mas ele estava com uma pistola NERF (que atira dardos de espuma).

O motivo? Ele fazia parte de uma partida de Humans Vs. Zombies, um jogo que coloca os membros de vários campi para fugirem de um zumbi. O morto-vivo, no caso, também seria um aluno e para não ser derrotado, ele precisa se alimentar de um ser humano a cada 48 horas (infectando mais pessoas na brincadeira).

Também existem os esquadrões anti-zumbis, que podem andar com armas de brinquedo (mas as regras do jogo proíbem que elas sejam realistas) para impedir que a infecção se alastre – é  caso do rapaz que falamos anteriormente. Para mais informações sobre Humans Vs. Zombies, clique aqui.

Fonte: Tecmundo

Napster está de volta para competir com Spotify

Tanto quanto o MySpace, o Napster tem tentado vez ou outra voltar a fazer sucesso com algumas mudanças, mas até hoje o site não conseguiu resultados tão expressivos. Ainda assim, o serviço de compartilhamento de músicas continua tentando. Tanto que a Rhapsody, outro serviço musical, comprou o braço britânico e alemão da empresa e agora pretende relançar a ferramenta na Europa nesta semana.

Página do Napster no Reino Unido (Foto: Reprodução)Página do Napster no Reino Unido (Foto: Reprodução)

Ao contrário do que aconteceu nos Estados Unidos, onde o serviço mudou de nome e foi incorporado, a ação na Alemanha e na Inglaterra deverá manter o nome Napster, embora completamente reformulado. “Pelo benefício da escala, a força de nossa programação editorial e parcerias estratégicas, podemos agora trazer o serviço para ainda mais consumidores em uma variedade de plataformas”, afirmou Jon Irwin, presidente do Rhapsody.

No Reino Unido o Napster está sendo oferecido como um serviço pago, com um tempo de testes gratuito em esquema semelhante ao do Netflix no Brasil. As plataformas oferecidas são gadgets com acesso à internet, iPhones e Androids, e, claro, computadores. O serviço é bem parecido com o site sueco Spotify, criado em 2006 e com alcance na Europa e nos Estados Unidos.

Graças ao Napster, toda a indústria fonográfica sofreu um duro golpe. Criado ainda antes da virada do milênio, em 1999 ele popularizou o formato MP3 para arquivos de áudio e, consequentemente, a pirataria na web. A empresa foi criada pelo norte-americano Shawn Fanning com o parceiro Sean Parker, que pediram falência em 2001 por inúmeros processos de direitos autorais. Parker então acabou virando o primeiro presidente e acionista majoritário do Facebook.

Fonte: Telegraph

A reação das crianças aos comerciais | Little Vader

As reações de algumas crianças são impagaveis!

Esta propaganda foi televisionada no Super Bowl do ano passado e foi considerado o melhor comercial do ano.

Veja:

Mashups de mamadeiras etílicas do cacilds

Novo tease de Game of Thrones

Ontem à noite a HBO lançou o mais novo tease da 2a temporada de Game of Thrones. E que tease! Para quem leu os livros, as imagens trazem a tona nitidamente frases e momentos, e para quem não leu, a curiosidade foi às alturas!

Parei de falar, por favor dê o play e aproveite:

 

Sério, tem como me deixar com mais vontade de ver Game of Thrones??

Lista de vencedores do SAG Awards

O SAG (Screen Actors Guild Award) é uma premiação diferenciada em Hollywood, pois ela é escolhida e votada pelos próprios atores, membros do Sindicato de Atores dos EUA. Ou seja, são atores avaliando – e sendo avaliados – por outros atores.
Os prêmios são apenas relacionados ao trabalho dos atores, nada de melhor diretor ou produtor ou até mesmo filme. Confira a lista dos vencedores a seguir:
CINEMAMELHOR ELENCO DE CINEMA
“Missão Madrinha de Casamento”
“O Artista”
“Os Descendentes”
“Histórias Cruzadas”
“Meia-Noite em Paris”MELHOR ATOR DE CINEMA
George Clooney (“Os Descendentes”)
Demian Bichir (“A Better Life”)
Leonardo DiCaprio (“J. Edgar”)
Jean Dujardin (“O Artista”)
Brad Pitt (“O Homem que Mudou o Jogo”)

MELHOR ATRIZ DE CINEMA
Michelle Williams (“Sete Dias com Marilyn”)
Glenn Close (“Albert Nobbs”)
Viola Davis (“Histórias Cruzadas”)
Meryl Streep (“A Dama de Ferro”)
Tilda Swinton (“Precisamos Falar sobre o Kevin”)

MELHOR ATOR COADJUVANTE DE CINEMA
Nick Nolte (“Guerreiro”)
Kenneth Branagh (“Sete Dias com Marilyn”)
Armie Hammer (“J. Edgar”)
Jonah Hill (“O Homem que Mudou o Jogo”)
Christopher Plummer (“Toda Forma de Amor”)

MELHOR ATRIZ COADJUVANTE DE CINEMA
Octavia Spencer (“Histórias Cruzadas”)
Berenice Bejo (“O Artista”)
Jessica Chastain (“Histórias Cruzadas”)
Melissa McCarthy (“Missão Madrinha de Casamento”)
Janet McTeer (“Albert Nobbs”)

MELHOR ELENCO DE DUBLÊS EM CINEMA
“Os Agentes do Destino”
“Cowboys & Aliens”
“Harry Potter e as Relíquias da Morte – Parte 2”
“Transformers: O Lado Oculto da Lua”
“X-Men: Primeira Classe”

TV
MELHOR ELENCO DE DUBLÊS EM SÉRIE DE TV
“Dexter”
“Game of Thrones”
“Southland”
“Spartacus: Gods of the Arena”
“True Blood”
MELHOR ELENCO DE SÉRIE DRAMÁTICA
“Boardwalk Empire”
“Breaking Bad”
“Dexter”
“The Good Wife”
“Game of Thrones”

MELHOR ELENCO DE SÉRIE CÔMICA
“Modern Family”
“30 Rock”
“Glee”
“The Big Bang Theory”
“The Office”

MELHOR ATOR DE SÉRIE DRAMÁTICA
Steve Buscemi (“Boardwalk Empire”)
Bryan Cranston (“Breaking Bad”)
Michael C. Hall (“Dexter”)
Patrick J. Adams (“Suits”)
Kyle Chandler (“Friday Night Lights”)

MELHOR ATRIZ DE SÉRIE DRAMÁTICA
Julianna Margulies (“The Good Wife”)
Glenn Close (“Damages”)
Kathy Bates (“Harry’s Law”)
Jessica Lange (“American Horror Story”)
Kyra Sedgwick (“The Closer”)

MELHOR ATOR DE SÉRIE CÔMICA
Alec Baldwin (“30 Rock”)
Ty Burrell (“Modern Family”)
Steve Carell (“The Office”)
Jon Cryer (“Two and a Half Men”)
Eric Stonestreet (“Modern Family”)

MELHOR ATRIZ DE SÉRIE CÔMICA
Julie Bowen (“Modern Family”)
Edie Falco (“Nurse Jackie”)
Tina Fey (“30 Rock”)
Betty White (“Hot in Cleveland)
Sofia Vergara (“Modern Family”)

MELHOR ATOR DE MINISSSÉRIE OU TELEFILME
Laurence Fishburne (“Thurgood”)
Paul Giamatti (“Too Big to Fail”)
Greg Kinnear (“The Kennedys”)
Guy Pearce (“Mildred Pierce”)
James Woods (“Too Big to Fail”)

MELHOR ATRIZ DE MINISSÉRIE OU TELEFILME
Diane Lane (“Cinema Verite”)
Maggie Smith (“Downton Abbey”)
Emily Watson (“Appropriate Adult”)
Betty White (“The Lost Valentine”)
Kate Winslet (“Mildred Pierce”)

 

E aí, o que você achou? Prêmios merecidos ou pura marmelada?
%d blogueiros gostam disto: